O primeiro restaurante de sobremesas do mundo | EspaiSucre



Foi no último ano do séc. XX que surgiu, em Barcelona, o 1º restaurante de sobremesas do mundo. Fruto do capricho de Jordi Butrón e Xano Saguer, aparece como uma epifania disruptiva - e arriscada -, tendo em conta o panorama gastronómico de então. Em harmonia com o projecto restaurativo, o EspaiSucre conta com uma escola de pastelaria, parte fundamental à implementação da filosofia que esteve na base da criação do restaurante.

Com este diferenciado projecto, os seus fundadores pretendiam dar a conhecer, a um público alargado, uma nova forma de olhar para o universo mais doce da gastronomia, uma área  com personalidade e técnicas próprias, tantas vezes desconsiderada, mesmo na alta cozinha. Com o EspaiSucre iniciou-se um novo entendimento sobre os limites do doce e do salgado na pastelaria - um tema que, ainda hoje, 18 anos depois, parece-nos tão actual. Percebemos o carácter inovador deste projecto olhando para Londres, uma cidade profundamente vibrante em termos gastronómicos e que só há dois anos viu aparecer o seu primeiro restaurante de sobremesas.


No menu de degustação mais extenso, para além de 5 pratos doces são incluídos outros tantos snacks. Se dúvidas existiam, quanto à viabilidade de uma longa narrativa de sobremesas ser possível e prazerosa - sem enjoar ou cansar -, cedo se desvaneceram. Esta foi uma memorável degustação, onde se conjugam elementos doces e salgados, muito bem equilibrados, criando um universo de sobremesas com bastante personalidade. A iniciar a refeição, um prato muito suave e apenas levemente doce.

Maçã em várias texturas, base de queijo creme, gel de aipo e espuma de vinagre, sementes de anis.


Foi no segundo prato do menu que surgiu o primeiro momento "Wow"!  Queijo fumado, bolo de azeite virgem, creme de azeitona, gelado e 'marmelada' de pêssego, crocante de caramelo e azeitona - simplesmente divinal. O fumado do queijo, o salgado do creme de azeitona, o doce do gelado e do pão de azeite... incríveis contrastes! Se no queijo com azeite vemos uma combinação provável, a junção do pêssego a estes sabores mostrou-se também ela bem acertada, originando uma bela sinfonia de sabores!


Mais uma sobremesa com predominância no contraste entre notas doces e salgadas. Esta e a anterior foram as favoritas, pois conseguiram atingir a perfeição, sendo capazes de levar qualquer ateu ao céu (ou ao inferno!) 😂 Bolo e crumble de manteiga e sal, creme de manjericão, gelatina de lima, gelado de lima e manjericão, caramelo salgado e espuma de baunilha com pedaços de pêra escondidos no meio.

 

O quarto momento, desta feita com predominância para o contraste doce/amargo/ácido. Bolo de leite de amêndoa, creme de banana e creme de chocolate, caramelo amargo em caviar, espuma de pisco sour e lágrima de merengue de limão. 


E para terminar: creme de anis, bolo de caramelo amargo, creme (chamam-lhe assim mas assemelhou-se a uma mousse bastante consistente) de caramelo salgado, crocante de café (bem amargo), gelado de azeitona preta (pouco doce mas também não muito forte de sabor) e espuma de laranja (mais uma vez, um elemento 'outsider' que acaba por tão bem emparelhar com os restantes sabores).  

Depois de alguns meses encerrado para renovação, o EspaiSucre reabriu com algumas alterações, contando agora com apenas 12 lugares disponíveis por serviço. É, sem dúvida, uma experiência única e estimulante, uma viagem pelo universo mais doce da gastronomia onde se promove uma refeição inesquecível para quem, como este que vos escreve, não abdica das experiências mais doces. 


Semea by Euskalduna, o novo restaurante de Vasco Coelho Santos

 Foto de divulgação 

O ano de 2018 prevê-se fértil para a cidade do Porto, no que respeito diz ao aparecimento de novos projectos de conhecidos chefs/empresários portugueses. É precisamente neste contexto que se dá a conhecer o novo restaurante de Vasco Coelho Santos (VCS).

Depois do encerramento do seu primeiro espaço restaurativo, BaixóPito, Vasco Coelho Santos prepara-se agora para inaugurar, bem no coração histórico da cidade do Porto, o Semea by Euskalduna. "Semea", que significa filho em Basco, pretende ser uma extensão do trabalho que vem sendo desenvolvido por VCS e pela sua equipa no Euskalduna - os mesmos sabores, num estilo mais informal e de partilha. 

É na Rua das Flores que em Maio - prevêem os astros - será possível degustar a rabanada do Euskalduna, um dos seus mais conhecidos pratos de assinatura, sem ter para isso de esperar semanas a fio por uma reserva. Para além desta sobremesa - que não poderia faltar -, dar-se-á primazia aos sabores e produtos portugueses. Entre as muitas propostas teremos um arroz de costelinhas, pá de cabrito assada lentamente por 24h, dashi de sarrajão, terrina de orelha, tartines e, claro, o pão sourdough que é feito e servido no Euskalduna poderá também aqui ser encontrado.

Com um total de 24 lugares, Semea by Euskalduna abrirá de quarta-feira a domingo, ao almoço e jantar.

"Chef's Table: Pastry", a alta pastelaria estreia em Abril no Netflix

Orange Colourilogy, Jordi Roca (El Celler de Can Roca)

Já por diversas vezes aqui falamos sobre a pouca atenção que é dada aos chefs pasteleiros no geral e, em particular, àqueles que trabalham na alta cozinha e que muito contribuem para a experiência gastronómica dos seus restaurantes.

É por isso com enorme entusiasmo que vemos ser anunciado o line up da série "Chef's Table: Pastry", a estrear a 13 de Abril no Netflix, e que manterá o mesmo registo e estilo documental adoptado nas anteriores temporadas:
  • Corrado Assenza - Caffé Sicilia Noto, Sicília; 
  • Jordi Roca - El Celler de Can Roca, Espanha - sobre o qual já aqui, aqui e aqui falamos; 
  • Christina Tosi – Milk Bar, Nova Iorque.


Pelo trailer não restam grandes dúvidas, uma série de fazer crescer água na boa, com certeza! :)

The Fat Duck, a perfeição em forma de sonho gastronómico


Num anterior artigo fizemos já a devida apresentação de Heston Blumenthal, chef percursor na utilização do método científico na alta cozinha, com uma dose elevada de criatividade à mistura. Debruçamo-nos agora sobre a experiência gastronómica que o próprio idealizou para o The Fat Duck (Bray, Inglaterra), restaurante galardoado com 3* Michelin, tendo sido considerado, em 2005, o melhor do mundo.

Simplesmente Vinho, muito mais que um evento vínico

 

O passado fim de semana foi pródigo para aqueles que têm no vinho a sua grande paixão. Se a Essência do Vinho é já um acontecimento anual que à cidade do Porto atrai milhares de pessoas, paralelamente decorre o Simplesmente Vinho, um evento de cariz alternativo que aposta nos pequenos produtores e que contou com uma oferta vínica diferenciada, com mais de 50% dos vinhos presentes de produção "natural" (assumindo uma definição simplificada e alargada do conceito), segundo informações da organização.

Vasco Coelho Santos, presença confirmada no evento New to the List da OAD


 Foto de divulgação - Euskalduna

Vasco Coelho Santos, chef do Euskalduna Studio, no Porto, é presença confirmada em Londres no jantar New to the List da Opinionated About Dining,  lista concorrente à The World's Best Restaurant e que desta se distingue por ter um vasto painel composto por alguns dos mais influentes críticos e bloggers do mundo.

Heston Blumenthal, a ciência e a criatividade ao serviço da alta cozinha


 Photo: EveningStandard 

Galardoado em 2005 com o título de melhor restaurante do Mundo, foi pelo trabalho desenvolvido no The Fat Duck que Heston Blumenthal ganhou reconhecimento por parte dos seus pares, sendo actualmente uma das personalidades mais respeitadas do meio. O seu trabalho caracteriza-se por aliar a gastronomia à ciência e à criatividade, sendo um dos pioneiros na utilização do método científico em prol da gastronomia.