A Rabanada, por Heston Blumenthal, João Rodrigues e Vasco Coelho Santos


Nada melhor do que uma sobremesa típica desta época para dar o mote a um post natalício. Sendo uma sobremesa tão tradicional, como poderá ela ser trabalhada e reinterpretada por quem tão bem se dedica à alta cozinha? Durante o presente ano tive a oportunidade de provar três diferentes versões, de três conceituados chefs. Aqui ficam elas. 


Heston Blumenthal, do restaurante The Fat Duck***, em Inglaterra, é um dos chefs mais conceituados do mundo, tanto pela genialidade como pela criatividade com que aplica os seus conhecimentos científicos à alta cozinha. Num almoço de Dezembro, o chef inglês, ainda que não conhecendo até então a receita portuguesa, teve a amabilidade de pensar e preparar a sua versão deste doce, propositadamente e apenas servindo-a à mesa onde me encontrava. Um privilégio! Mais detalhes sobre este recente almoço ficarão para um futuro post. Para já, na foto, a rabanada de Heston Blumenthal: pão húmido no interior, bem caramelizado e crocante por fora, polvilhado com canela e acompanhado de gelado de leite. Incrível.


Também João Rodrigues, com o auxílio do seu sub chef André Cruz, criou a sua versão da rabanada, num desafio lançado no âmbito do menu criativo do restaurante Feitoria* (de que aqui falarei num futuro post, e sobre o qual escrevi no âmbito de uma tese de mestrado). Este foi um desafio que só durante a refeição tive a certeza de que tinha sido tão gentilmente aceite. Sorriso rasgado foi como fiquei ao vê-la chegar à mesa. Um momento bem emotivo, para alguém que, como eu, associa este doce português a memórias e emoções bem fortes. Na foto, pão de air baguette polvilhada com canela e açúcar, gelado de pão alentejano e, claro, calda de açúcar. Estão presentes todos os sabores associados a esta sobremesa, mas com técnicas e texturas bem diferentes. Fantástico.



A última rabanada do post foi a única que não foi idealizada propositadamente no âmbito de um qualquer desafio, como aconteceu com as anteriores, já que Vasco Coelho Santos criou esta receita em tempos passados, inspirado nos anos em que que esteve pelo país Basco. No seu novo restaurante a rabanada é acompanhada por um INCRÍVEL e pecaminoso gelado de queijo da serra. Prová-la foi como ir ao céu, um verdadeiro orgasmo, um daqueles momentos em que a cada garfada apetece praguejar de prazer. O sabor do queijo combina na perfeição com esta sua versão, e dificilmente me sairá da memória. O difícil agora vai ser aturar-me, pois ai deste chef português que alguma vez se lembre de a retirar da carta... uma proposta destas não pode deixar de ser servida, é um prato de assinatura! Por isso, já sabem, quando visitarem o Euskalduna Studio façam um favor a vocês mesmos, aquando da reserva não deixem de demonstrar interesse em provar esta sobremesa! 

E assim aqui ficam os votos de um feliz natal! Boas degustações.

Sem comentários:

Publicar um comentário